Experiências de Escrita – Poesia


O objetivo da Circuito é publicar principalmente textos literários que fogem do conceito comum de literatura, apostando em realizações dissonantes em relação ao mainstream, produções em campo ampliado e experimentações formais.


Onde late um cachorro doido – Moisés Alves

Depois de Cadernos de artista, como se não fosse já muito, como se já não nos tivesse feito sobejar suficientemente com tanta pujança (a nós, leitores privilegiados de poemas, a nós, que somos sim fortes), Moisés Alves, valorizando nossa capacidade de dança, nos surpreende com um novo (e diferente) tranco, soco, coice. Pois como determinar […]

Pedrinho petrificado – Kate Woodard

Livro para crianças escrito por Kate Woodard e traduzido por Renato Rezende.

Lasca de breu – Guilherme Delgado

Neste extraordinário livro de estreia na poesia, o dramaturgo Guilherme Delgado demonstra madurez de escrita e concisão, criando poemas que podem ser lidos como uma surpreendente atualização contemporânea do hai-kai, tradição que no Brasil encontrou terreno fértil para se desenvolver.

Cadernos de artista – Moisés Alves

“Não é fácil entrar neste Cadernos de artista de Moisés Alves, pois: pois de artista. Vinte mil portas, todas de entrada e, algumas e somente algumas, não portas, mas janelas de saída. Não quererás sair, tendo ido aos buracos em se que revela o que pulsa e pulsa no dentro do recinto do livro. E […]

Lótus Molotov – Leonardo Toledo

Através do esquema de corte-e-colagem e de outros artifícios, o livro opera uma reorganização extensa sobre personagens conhecidos da ficção. Capa com desenho de Ágatha la Piedra.

Esperando a hora da Stella – Maria Dolores Wanderley

Marcado sempre pelo amor e pelo estranhamento, o livro Esperando a hora da Stella, sem nunca perder uma notável unidade de tom (derivado de um olhar sensível e maduro, acostumado a observar e ase auto-observar) constitui-se de breves memórias, em diferentes suportes (poemas, contos, crônicas, fotografias) do percurso artístico da poeta Maria Dolores Wanderley pela […]

Viventes de Saturno – Carlos Frederico Manes

O contato com a obra publicada do poeta Carlos Frederico Manes – agora acrescida deste seu terceiro livro de poemas – vai consolidando a experiência do estranhamento do poeta em relação ao mundo e à condição humana, algo que uma boa arte costuma provocar, se quer deslocar (e descolar) o leitor do burburinho da vida […]

Quase-poesia – Jerson Lima Silva

“Os poemas deste livro de Jerson Lima Silva traçam, entre eles, o fio de uma narrativa de confissão e por ele o autor é conduzido à fuga de si mesmo e à tentativa de nos arrebatar, leitores, à jornada desse cosmos quase arrebatador, que ora se revela tudo, ora se desvela em nada, oscilando como […]

Ninfas e Mariposas – Leonardo Toledo

Em Ninfas e Mariposas, o leitor encontrará reminiscências desconhecidas na forma de velhos amigos, seus instintos que são os meus e os nossos codificados no rol de personagens. Aparecem Alice, Rapunzel, Sheherazade, Colombina, Salomé, rio Tororó, o Corcunda de Notre-Dame, Cupido, sereias, luas antropomórficas e muito mais habitantes do inconsciente… Boa viagem. Renato Rezende

Quarenta e quatro – Mauricio Cardozo

Quarentaequatro é o primeiro livro de poemas de Mauricio Cardozo. E o jogo numerado que se desenha aqui é um convite a um passeio entre as ruínas de uma estrutura em queda que vai do nome aos impasses da passagem do tempo e, depois, numa conjunção, se rearma e se desdobra nos embaraços da letra […]

Doctypes – Alex Hamburger

Doctypes é a transcrição completa em HTML do diário eletrônico do autor na rede social Facebook. Esta obra se insere na linha da poesia conceitual, técnica cujo representante mais eminente é o poeta norte-americano Keneth Goldsmith, criador do site Ubu.

Levantem lentamente o lençol – Bia Albernaz

De acordo com Maria Isabel Borja, que assina a orelha, “se tivesse que dizer algo sobre o livro em uma frase, diria que é a oração de uma espiritualidade sensorial e nada óbvia.” Bia Albernaz é poeta e escritora.

Repetir – Katia Maciel

Segundo livro de poemas da artista visual e pesquisadora Katia Maciel, publicado em parceria com a editora +2. Clique aqui para baixar o livro

O olho do lince – Guilherme Zarvos

Poemas por toda parte (o papel, a imagem, a letra, o ato-desenho); neles, um arcaísmo maciço – poemas-inscrições, um livro e suas cavernas anteriores. Frases curtas, amplas e gráficas: mesmo a escrita fonética, grafismos: com o susto alegre da cor alegre.

A outra morte de Alberto Caeiro – Afonso Henriques Neto

De acordo com Sérgio David Nazar, “Afonso Henriques Neto dá-nos um livro de poeta-leitor, leitor sensibilíssimo da obra de Pessoa. Campos e Reis insinuam algo que está quase escondido em Caeiro: o pastor sem cajado, o pastor de rebanhos não guardados. O diálogo com a poesia do Mestre, empreendido por Afonso Henriques Neto, termina por […]

1,68 x 1,81 – Maria André Leite

1,68X1,81, livro de estreia de Maria André Leite, traz uma voz poética que se move entre versos livres e monólogos interiores de um sujeito lírico que, em diferentes estágios de experiência, tenta operar con- hecimento de mundo através da escrita.

Em caso de emergência pare o tempo – Gab Marcondes

“Parece-me que o maior valor desta poesia é que, mesmo já sendo uma poeta claramente dona de seu instrumento, Gab não abre mão do fascínio da pesquisa com a palavra o que a vai certamente consolidar como uma das boas poetas brasileiras contemporâneas.” Heloisa Buarque de Hollanda Poemapps é um projeto de Bruno Vianna e […]

Naxos – Elsa Cross

A poética de Elsa Cross, de elevado teor espiritual, entronca-se tanto na tradição da mística ibérica como na mutação que os filhos do Ocidente sofrem, há séculos, quando se abrem a experiências vitais e de estudo das religiões da Índia, que incluem a prática da meditação. Daí o caráter eminentemente sincrético desse olhar/sentir da poeta […]

N’Ágorainda – Naila Rachid

“Naila Rachid não teve pressa, a decantação do livro se operou de maneira lenta e poderosa, e hoje temos nas mãos toda essa densa matéria poética, tecida de assombros e linguagem tensa. O título do volume, fusão que conduz ao centro lírico de abstrata, teatral, grega praça pública, é instigante e intrigante, alguém com uma […]

Os nomes – Rogério Luz

Os Nomes é uma obra premiada na categoria poesia do Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura – 2013, pelo Governo de Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e a Superintendência de Publicações e Suplemento Literário. Foi aqui acrescida uma segunda parte com Mais Nomes.

Caixa-Preta – Mariana Roquette-Pinto

Em Caixa Preta, Mariana Roquette-Pinto, exímia encadernadora de livros – esses objetos amados e temidos, que jazem no cerne da tradição de nossa civilização, ao mesmo tempo matéria e espírito, alvos de violência, fetiche e fascínio – expande e desdobra ainda mais o significado simbólico deste artefato (o livro), usando-o como suporte para sua arte, […]

Rasga-mortalha – poemas dos outros – W. B. Lemos

Rasga-mortalha – poemas dos outros, primeiro livro de poesia de W. B. Lemos, possui uma dicção própria ousada, fruto de um diálogo obsessivo com escritores de várias linhagens, a exemplo dos poetas Baudelaire, Pessoa, Gertrude Stein, Bukowski, Drummond, Murilo Mendes e Leminski, entre outros, além de prosadores do naipe de Machado de Assis e Murilo […]

Lira dos sentidos – Carlos Henrique Costa

Para Ivan Junqueira, em CHC, a poesia, em vez de aceitar como causa mortis o lugar-comum, “Preferiu moradia / em lugar mais fecundo: / lugar-nenhum.” É com base nesse tom satírico e de brevidade expressiva que deve ser entendida a lírica do autor, consciente de que “somos perfeitos em nossa imperfeição” e também de que, […]

Gazetas esportivas – Alex Hamburger

Gazetas esportivas é uma pequena joia poética, um livro cult desde seu lançamento, de um poeta/performer dos mais instigante na cena da arte contemporânea carioca.

Romance – Caio Meira

Romance é a reunião da poesia completa de Caio Meira até o momento, desde sua estréia com No oco da mão em 1993; e inclui os poemas mais recentes, até então inéditos. São, portanto, 20 anos de poesia deste que é um dos mais significativos poetas de sua geração. Do lugar negativo a partir do […]

O Céu da Célula – Alberto Saraiva

Livro-objeto com poema de Alberto Saraiva

Clínica de artista II – Roberto Corrêa dos Santos

Sim. a clínica. Cria-se a clínica. Como poema. Mundo dos corpos e suas espacialidades. Febre e calor e além de saúde ou doença ou cura. Nada resiste à plasticidade. A carne e a pele e a pele. A letra à expressiva voltagem.

Clínica de artista I – Roberto Corrêa dos Santos

Sim. a clínica. Cria-se a clínica. como poema. Alturas curvas vazios dobras volumes declives quedas silêncios ocos. A seta da vida forte a exigir a abertura do arco tensor. O preço do conceito. Mecanismos mentais ativados. O visível do querer. Redes móveis do corpo. Íntimas exigências do fora. Volumes de areias do deserto em ondas. […]

Os Tigres Cravaram as Garras no Horizonte – Augusto de Guimaraens Cavalcanti

Onde situar Os tigres cravaram as garras no horizonte em uma topografia da poesia contemporânea brasileira? À inevitável pergunta feita pelos entomologistas da literatura, por aqueles que confundem classificação com compreensão, podem ser dadas muitas respostas. (...)

Dezembro – Ana Tereza Salek

Em seu texto “Cinco mais cinco mais cinco e tudo mudou na poesia brasileira”, que serve como introdução à antologia Inquietação-Guia (Azougue, 2009), Ítalo Moriconi aponta para a necessidade de se repensar e expandir o leque da crítica literária brasileira – em relação à poesia contemporânea – para além do “cânone crítico universitário pautado por […]