Copa pra quem? Olimpíadas pra quem? – Alex Frechette

O Rio de Janeiro sediou parte da Copa do Mundo de Futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, eventos marcantes na história da cidade e do estado, bem como na memória de grande parte dos brasileiros. Porém, estes eventos trouxeram consigo diversos questionamentos e controvérsias: as remoções forçadas de famílias em vários morros e favelas, o não cumprimento de promessas relacionadas ao meio ambiente – como a despoluição da baía de Guanabara e da lagoa de Jacarepaguá –, o superfaturamento de várias obras – como a do estádio do Maracanã – e a real possibilidade da Aldeia Maracanã se tornar um estacionamento, por exemplo.

Estas e outras questões foram tema do trabalho de muitos artistas do estado do Rio de Janeiro. Entre estes, está Alex Frechette, artista plástico e escritor que mapeou grande parte das obras críticas aos megaeventos que surgiram neste período. O trabalho, resultado de sua dissertação de mestrado em Turismo na Universidade Federal Fluminense, está sendo lançado pela Circuito, editora especializada em arte e cultura contemporâneas. O livro Copa pra quem? Olimpíadas pra quem? Arte e megaeventos no Rio de Janeiro – contranarrativas na cidade turística é uma pesquisa que traz um panorama histórico das problemáticas das Olimpíadas e das Copas do Mundo, abordando também as manifestações que antecederam os megaeventos brasileiros, como as Jornadas de Junho de 2013.

O livro une os temas arte e turismo de forma a abordar seus pontos de contato, ou seja, suas características essenciais como fenômenos sociais, em uma crítica às posições elitistas e excludentes dos eventos pretensamente “para todos”. Esta é a principal tônica da publicação, que também conta com o depoimento (e reprodução das obras) dos artistas engajados neste tema.

A orelha conta com as impressões do professor e teórico das artes Jorge Vasconcellos, e o prefácio fica por conta da Profª Drª Karla Godoy, orientadora da dissertação, ambos docentes da UFF.


Deixe um comentário