Arte Contemporânea Brasileira (1970-1999) – texturas, dicções, ficções, estratégias – Ricardo Basbaum (org).

A publicação de Arte contemporânea brasileira: texturas, dicções, ficções, estratégias
é, sem dúvida, sinal indicativo de que o interesse nas questões trazidas pelo livro permanece em aberto: existiria, ainda, relevância no debate em torno da crítica de arte; seria preciso prestar atenção na presença de uma economia discursiva própria do campo da arte contemporânea — dinâmicas cuja operatividade desempenharia papéis-chave nas relações que se quer estabelecer com as obras e o circuito, o tecido cultural e as urgências políticas. Amplamente, a presença variada e múltipla da textualidade nos debates compartilhados do campo da arte seria portadora de engajamento, intervenção, provocação e desvio, ao mesmo tempo em que inscreve e estratifica camadas de uma geografia comum da fala e da escrita.